Sala de Imprensa - Releases

IMP convida os brasileiros a compartilharem os "Relógios da violência"

Plataforma lançada em agosto pelo Instituto Maria da Penha (IMP) será

aberta a outros países, começando pelos Estados Unidos e Colômbia

 

O Instituto Maria da Penha (IMP), organização não-governamental que atua no combate à violência contra a mulher, convida os brasileiros a compartilharem os doze relógios que apresentam diferentes tipos de violência sofridos pelas mulheres por meio da plataforma "Relógios da violência" (relogiosdaviolencia.com.br). O objetivo é tornar a gravidade do problema em algo mais próximo do cotidiano das pessoas, informando e estimulando as denúncias não só no Brasil. A partir desta semana, o IMP abre a ferramenta internacionalmente, começando com dados dos Estados Unidos e Colômbia.

A plataforma, criada pela F.biz, foi lançada no Brasil em agosto com dados do Datafolha que foram relacionados às horas do dia, dando origem a relógios que mostram em tempo real a quantidade de vítimas existentes naquele determinado momento. Compartilhados com a #TáNaHoraDeParar, os relógios logo chamaram a atenção de apresentadores, celebridades e políticos, ganhando repercussão nacional.

Hoje, já são contabilizados mais de uma dezena de tipos de violência, entre agressões físicas, psicológicas, sexuais e morais. Além de ser considerada como uma ferramenta de prestação de serviço, a plataforma também passou a ser vista como um meio de informação capaz de estimular a denúncia de ocorrências.

Do Brasil para o mundo

A partir de agora, instituições e pessoas em todo o mundo também poderão inserir as estatísticas de agressões e criar relógios referentes ao seu País. Para publicar dados na plataforma, o usuário deve entrar no www.clocksofviolence.com, cadastrar as suas informações pessoais, informar o País em que reside, e indicar um link com uma pesquisa relevante sobre o tema.  A expectativa é reproduzir os relógios conforme o volume de dados inseridos localmente, aproximando as pessoas de um problema que não é exclusividade do Brasil, e que acontece com uma frequência e variação maior do que se imagina.

De acordo com o NOW (National Organization for Women e U.S. Department of Justice Office of Justice Programs), a cada 5,4 horas uma mulher é assassinada pelo parceiro, a cada 2,3 minutos uma mulher é vítima de violência sexual, e a cada 1,1 minutos uma mulher é vítima de violência física nos Estados Unidos. Já na Colômbia, a cada 10,6 minutos uma mulher é vítima de violência intrafamiliar, a cada 34,9 minutos uma mulher é vítima de violência sexual, e a cada 12 horas uma mulher é vítima de feminicídio, segundo números do Instituto Nacional de Medicina Legal y Ciencias Forenses.

Sobre o Instituto Maria da Penha

O Instituto Maria da Penha - IMP é uma instituição não governamental, que trabalha no fortalecimento de sua identidade e seus objetivos, dentre eles: promover e articular ações pedagógicas preventivas, sustentáveis, em defesa de direitos, a prevenção da violência doméstica e familiar através de orientações tecnicamente aproveitáveis, prestações de serviços e de apoio à família-objeto da ocorrência violenta; tudo, como consequência do direcionamento planejado de esforços em face do combate aos crimes cometidos no cenário doméstico, pela efetivação da Justiça, definindo e apresentando expedientes no escopo da melhoria da qualidade de vida feminina que, porventura, tenha sido mitigada em decorrência da violência de gênero, consoante os princípios norteadores da Lei 11.340/06 – “Lei Maria da Penha”.

Imagens para download:

Imagem

"Relógios da violência" - Brasil

"Relógios da violência" - Brasil

Imagem

"Relógios da violência" - Estados Unidos

"Relógios da violência" - Estados Unidos

Imagem

"Relógios da violência" - Colômbia

"Relógios da violência" - Colômbia

Leia Também